Arquivo diário: 01/10/2017

Como Colecionar Moedas

Colecionar moedas é fácil, e todas as moedas são boas para se ter. É uma atividade divertida, segura e educacional para você e seus filhos.

 Passos

  1. Imagem intitulada Collect Coins Step 1
    Não pressuponha que todas as moedas antigas estarão em más condições. Se você estiver comprando moedas, pode esperar também que estejam em boas condições, mesmo se tiverem 500 anos de idade ou mais. Obviamente, conforme aumenta a idade da moeda, a condição dela, caso seja muito boa, elevará o seu valor.
  2. Imagem intitulada Collect Coins Step 2
    Encontre algo para guardar as suas moedas. Isso não significa que você tem que comprar um porta-moedas muito chique (embora isso possa mantê-las em melhores condições). Porta-moedas podem ser também bem baratos, e você pode até mesmo usar uma velha caixa de sapatos ou um vidro de geleia.
  3. Imagem intitulada Collect Coins Step 3
    Armazene-as em um local seguro. Se estiver comprando moedas caras, invista em um cofre e em recipientes que não destruam o valor numismático de suas moedas.
  4. Imagem intitulada Collect Coins Step 4

    Decida o que quer colecionar.

    • Você pode querer colecionar moedas estrangeiras ou do seu país natal.
    • Você pode querer colecionar valores maiores ou menores.
    • Você pode querer colecionar moedas já circuladas vendidas em álbuns ou tentar completar uma série que cubra o período em que você vive.
    • Você pode querer colecionar moedas não circuladas que estivessem disponíveis no seu país a partir dos anos 1950.
    • Você pode querer colecionar conjuntos de prova, que são moedas não circuladas preparadas especialmente para colecionadores.
    • Você pode querer colecionar conjuntos de prova de prata, que são bastante belos (mais acessíveis que os de ouro) e seu valor crescerá (ou cairá) conforme sobe ou desce o valor da prata.
  5. Imagem intitulada Collect Coins Step 5
    Pergunte a amigos ou parentes se eles tem moedas velhas, e então pergunte se você pode tê-las ou comprá-las, dependendo do que parecer mais apropriado.
  6. Imagem intitulada Collect Coins Step 6
    Consulte o seu banco ou instituição financeira. Muitos deles venderão rolos ou sacos de moedas pelo valor nominal.
  7. Imagem intitulada Collect Coins Step 7
    Aumente a sua coleção indo a exposições de moedas. Você pode também visitar o seu negociante local para comprá-las, e quase sempre haverá alguma caixa barata de moedas que servirá tanto para adultos como para crianças.
  8. Imagem intitulada Collect Coins Step 8
    Note que algumas pessoas aconselham colecionar moedas a partir de “trocados de bolso”, já que uma vez que uma moeda moderna entra em circulação, ela tipicamente vale apenas o seu valor nominal, embora possam haver notáveis exceções.
  9. Imagem intitulada Collect Coins Step 9
    Entenda a classificação das moedas. Classificar moedas é geralmente difícil, e há uma tendência de as pessoas sobrestimarem os seus valores. Os valores de classificação nos Estados Unidos, por exemplo, são mais altos do que no Reino Unido. Então nos EUA uma moeda considerada em estado de “recém-cunhada” pode não ser tão boa quando uma moeda “em ótimo estado” no Reino Unido.
  10. Imagem intitulada Collect Coins Step 10
    Note que o sistema norte-americano de classificação também tem problemas para avaliar as moedas cunhadas manualmente com martelo, em oposição às cunhadas por máquinas.
  11. Imagem intitulada Collect Coins Step 11
    Moedas podem ser um bom investimento. Elas tem crescido em valor mais rapidamente do que os índices de inflação e as taxas de juros pagas por bancos. Se você comprar e vender com cuidado, existe aí algum dinheiro a ser feito.
  12. Imagem intitulada Collect Coins Step 12
    Um dos melhores jeitos de “comprar e vender com cuidado” é ler o livro antes de comprar a moeda. Existem muitos livros disponíveis no mercado. Confira primeiro o catálogo com informações básicas e preços estimados. Depois há também livros disponíveis que tratam de séries individuais (the Lincoln Cent, por exemplo), tipos (moedas antigas, erros de cunha, moedas de ouro, símbolos e medalhas, etc.). Há livros sobre avaliação de moedas que são importantes para determinar o valor. Essa disponibilidade de literatura a respeito abrange quase todos os tópicos da coleção de moedas, ou Numismática, como é mais formalmente conhecida a atividade. O conhecimento é que define como saberemos a diferença entre uma moeda rara e uma comum.

Dicas

  • Sempre segure as moedas pelas bordas. Isso irá prevenir o desgaste e as impressões digitais nas faces, que é o que realmente conta.
  • Não seja um avarento que coleciona moedas apenas pelo dinheiro. Ponha paixão nisso. Faça com que seja um hobby que valha a pena.
  • Esteja preparado com os honorários cobrados por negociantes (geralmente 20 por cento de compras ou vendas). Para evitar de ser cobrado em excesso, encontre um negociante com boa reputação, e use um igualmente respeitável guia de preços de moedas. Nos EUA, por exemplo, os melhores são o Guide Book of United States Coins, ou o Red Book.
  • Se você vai comprar uma moeda cara, uma boa ideia é comprá-la encapsulada em plástico (“slabbed”, em inglês), como as que são avaliadas por serviços independentes como o PCGS ou o NGC. Isso dá à moeda um maior valor concreto.
  • Lembre-se que a avaliação, mesmo que por um serviço profissional, é subjetiva… e sujeita a mudanças!
  • Se está fazendo a coleção com uma criança, talvez a melhor coisa a se fazer seja colecionar moedas estrangeiras, não antigas. Assim pode-se também entrelaçar um aprendizado sobre outras culturas ao mesmo tempo. Você pode ainda colecionar a última moeda de um país, contanto que não tenha sido interrompida há 500 anos.

Avisos

  • Cuidado ao comprar moedas de leilões online. É comum que vendedores sem escrúpulos supervalorizem o valor ou as condições de suas moedas. Inclusive há inúmeros depoimentos acerca de vendedores que simplesmente não entregam as moedas.
  • Evite colecionar antigas moedas chinesas, porque podem ser muito facilmente imitadas, e você terá que ser um especialista nesse tipo de moedas para verificar se são autênticas ou não.
  • Evite manter as moedas em jarros, caixas de sapato ou outros tipos de embalagens plásticas. O valor das moedas pode ser destruído com o atrito do movimento entre elas. Além disso, alguns materiais podem causar reações químicas que prejudicam o valor das moedas.
  • O policloreto de vinila (ou PVC) pode danificar a sua moeda. Depois de algum tempo, a película grudenta pode migrar para a sua moeda e causar danos severos.
  • Muitas vezes, quando comprando moedas, podem surgir negócios que são “bons demais para serem verdade”. Inspecione sempre as moedas antes de comprar, e busque por sinais de que a moeda possa ser falsa ou ser uma réplica da original. Você pode descobrir só depois, quando estiver pronto para vendê-la e achar que vale alguns milhares, que na verdade a moeda é uma réplica produzida em massa ou uma falsificação.
  • Certifique-se de que tenha informações suficientes a respeito das moedas que estará comprando. Muitos relatos têm circulado sobre moedas antigas falsificadas que estão sendo produzidas em larga escala na China. Se você for comprar pela internet, não deixe de checar a reputação do seu vendedor.
  • Saiba que moedas são consideradas um investimento especulativo, ou seja, seus valores (e preços) podem subir ou descer.

 

Fonte: https://pt.wikihow.com/Colecionar-Moedas

Tags , ,

A elefanta e a cadela

Uma elefanta e uma cadela ficaram grávidas ao mesmo tempo.

Dois meses depois da engravidar a cadela deu a luz à 6 lindos filhotinhos.

Mais 6 meses se passaram, e a cadela engravidou novamente.

Depois de outros 2 meses, outros oito filhotes.

Já haviam se passado 18 meses, quando a cadela encontra a mamãe elefante, e resolve zombar dela: “Nossa! Você tem certeza que está grávida? Já tive 14 filhotes nesse tempo todo, enquanto você só engordou, e não pariu nenhum!

Tem certeza que “vai sair alguma coisa daí?”, perguntou rindo e apontando com desdém.

De cabeça baixa, porém confiante, a elefanta respondeu: “Sim, estou grávida. Demorarei mais para dar a luz, mas quando acontecer, você vai saber!

Quando meu filhote andar, o chão por onde ele passar vai tremer.

A Terra toda vai saber onde ele está e todos vão parar para deixá-lo passar!

O tamanho da gravidez é do tamanho do que ela gera!

Você gerou 14, pequenos. Eu gerarei só 1, mas ele vai ser gigante, e impossível de não se notar!

Se tem alguém questionando você sobre a sua demora para se formar, para encontrar um emprego melhor, formar uma família ou o amor da sua vida, seja paciente!

Nem todo mundo sabe que dá trabalho fazer nascer coisas grandes, excelentes e poderosas.

O mundo todo vai notar quando você der a luz ao seu sonho, e ele vier à tona.

Sonhos grandes fazem a Terra toda tremer.

Autor desconhecido.

PEDAGOGIA – Profissão do futuro

Quando começamos a aprender? Quando nos tornamos alunos? Quando iniciamos a jornada do aprendizado que nos conduzirá a uma profissão?

Pois bem, alguns profissionais acreditam ter começado sua carreira quando ingressaram nos cursos de graduação, onde aprenderam sua profissão – médicos, advogados, enfermeiros, engenheiros, entre tantos outros. Ah, tem professor também. Aliás, tem pedagogo também!

O que vemos, no entanto, é um descrédito, uma visão de “coitadismo” para aqueles que escolhem a pedagogia como carreira; para aqueles que, ao invés de trabalhar, apenas darão aulas.

Quero lembrar a todos que nenhum profissional chegaria à graduação sem ter aprendido pelas mãos de um professor quando estavam na infância e depois na adolescência. Aqui me refiro ao pedagogo, mas reforçando o papel de todo professor, responsável pelas transformações dos saberes de muitos.

Antes para lecionar aos pequenos bastava o magistério, curso em nível médio para formação de docentes. Com a mudança de legislação a pedagogia passou a ser condição necessária para este exercício.

Com isso o olhar para a profissão mudou um pouco, ainda que insistam em menosprezar o papel do pedagogo, do professor, em uma sociedade que se deseja mudar sem a valorização destes profissionais.

A pedagogia é a ciência que estuda os princípios da educação, envolvendo um conjunto de métodos, saberes e processos voltados para a formação integral do ser, para o desenvolvimento do processo (inseparável) de ensino e aprendizagem (quem ensina, ensina algo a alguém) com vistas ao pleno e autônomo desenvolvimento de seus aprendizes.

Por muitas décadas, o pedagogo tinha sua carreira restrita às escolas, no espaço restrito das salas de aula, coordenação ou gestão escolar; sempre com atividades relacionadas ao ambiente escolar, em instituições formais de ensino.

Vale ressaltar que o papel do pedagogo vai além da sala de aula, uma vez que, com formação adequada, ele se torna um especialista em educação, alguém que precisa e deve pensar a educação, propondo caminhos e mudanças para o desenvolvimento integral do ser humano.

Na atualidade, ainda que muitos pedagogos não se apercebam disso, o campo de atuação se ampliou, tendo espaço para atuação no mundo corporativo, junto com o RH, atuando e organizando treinamentos e outras atividades para desenvolvimento profissional; há espaço para atuação em ONGs, na pedagogia social, na pedagogia hospitalar, em museus, em brinquedotecas, na pesquisa e desenvolvimento de mídias educativas, cursos e materiais para ensino presencial ou a distância, além de consultorias, cursos e palestras.

Mesmo diante deste novo cenário, há aqueles que procuram o curso de pedagogia porque gostam de crianças. Isso não é pré-requisito! Pelo contrário aponta um olhar de cuidador e não de um profissional de educação – o pedagogo. É certo que lidar com crianças e adolescentes faz parte do papel do professor, mas não se pode limitar o olhar profissional a isso.

A carreira do pedagogo, assim como a de todo professor, exige rigor em sua formação, pesquisa, aprendizado constante e atuação efetiva na educação, com vistas ao seu desenvolvimento, passando longe da visão romântica de que basta gostar de crianças ou de “dar” aulas.

Ao ampliarmos o olhar para a carreira da pedagogia podemos apontar o seu papel dentre as profissões do futuro pois, sem pedagogos atuando na educação básica não será possível a formação de profissionais em níveis superiores aptos para exercitarem, com qualidade, suas profissões.

Antes de um trabalho de conclusão de curso, o aprendiz precisa aprender a ler e a escrever e esse aprendizado tem início lá na educação básica.

É desta forma que a pedagogia precisa ser vista e respeitada: como uma das profissões do futuro e não com a visão simplista, depreciativa como presenciamos em algumas propagandas e manchetes que colocavam a carreira do professor como um bico ou complemento de renda.

Sem professores não conseguiremos construir uma sociedade justa, igualitária e com pessoas que façam uso de suas capacidades intelectivas para aprender e mudar a sociedade em que se encontram.

Sejamos pedagogos, professores engajados por uma educação melhor e, principalmente, por uma imagem melhor de nossa profissão em uma sociedade que quer caminhar para o futuro.

ROBSON SANTOS, setembro/2017.

Disponível em: <www.professorrobsonsantos.com.br/2017/09/05/pedagogia-profissao-do-futuro/>. Acesso em: 1 out. 2017.

Sobre o professor Robson Santos:

Doutorando em Design, pela Universidade Anhembi Morumbi.

Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Graduado em Pedagogia pela UNISA.

Ator e Educador Brincante pelo Instituto Brincante.

Especialista em Folclore Brasileiro pela Associação Brasileira de Folclore.

Professor universitário em cursos de graduação e pós-graduação com experiência nas áreas de Educação, Artes e Design, atuando principalmente em metodologias ativas de ensino, cultura popular e pesquisa em design vernacular.

Palestrante motivacional com ampla experiência em desenvolvimento de equipes, liderança e formação de professores.

Tags